sábado, 18 de dezembro de 2010

É tanta coisa que acontece, é tanta coisa que se sente, é tanto, tanto de tudo ao mesmo tempo,  e esse tanto tudo na verdade é um grande nada. É muita coisa tentando furiosamente ocupar um espaço que já está cheio de vazio. Tudo enche, nada preenche.

Nossa, como cansa.

3 comentários:

Fulano disse...

Olá,
Vejo que você escreve as coisas e depois apagá-la. Você pratica autocensura ?!.:):).... bom Natal.

Devir disse...

Ainda não lhe disse, mas suas imagens são excelentes. Aquela que servira de inpiração ao texto do caneta, lente e pincel, rendeu longos minutos de imaginação e sentimento.

Parabéns, sinceramente.

Leticia Hasselmann disse...

Ainda não lhe disse, mas seu texto é surpreendente.Fiquei muito feliz e lisonjeada de tê-lo junto à imagem. Pois, palavras bem encadeadas e inteligentemente colocadas inundam o texto de cores, nuances e contrastes. Seja então ele a obra, e a pintura, modesta moldura.
Parabéns. E obrigada.